Análise do jogo Brutal Legend


Aee galera do Rock Me ON!

Estou aqui novamente depois de muito tempo pra fala pra vocês de um dos jogos de mais bom gosto que já joguei ultimamente: “Brutal Legend”. Jogo em terceira pessoa, que a galera pode achar para as plataformas do Xbox 360 e PS3.

Para a galera definir “Brütal Legend” é meio complicado. Apesar de ser num primeiro momento um jogo de pancadaria, a mecânica muda ao desenrolar do game, e chega a partir para mecânicas de jogos de corrida. Além do mais, a outra mudança que a meu ver é considerável, é que se tem aquela manha do famoso “Guitar Hero” que é o apertar de botões em um tempo determinado, e por aí vai. Com o dedo do jogador em cada aspecto da história, há menos distanciamento, menos momentos em que o usuário solta o controle para ver o que está acontecendo e, consequentemente, uma maior aproximação com o que acontece na tela.

No entanto, tal escolha é uma via de mão dupla, já que podem decepcionar vários jogadores, principalmente aqueles que fazem questão de pular diálogos e ir direto aos segmentos interativos. O que pode virar uma experiência superficial se o jogador não entrar no clima do jogo.


O tema de “Brütal Legend” foi ao que mais me agradou .Possui um genuíno amor por rock’n roll, e a figura de Jack Black. Ator de filmes como “King Kong” e “Nacho Libre” não é apenas o dublador da aventura e muitos de seus cacoetes, bordões e gostos aparecem em todos os cantos do game.

História

 
 

Black interpreta Eddie Briggs, o melhor roadie do planeta. O sujeito tem a função de montar o show e fazer com que a banda brilhe da melhor maneira possível, mas ele anda frustrado com os rumos da música. O heavy metal parece estar morto nas mãos de bandas como a Kabbage Boy, que usa DJs e outras tendências modernas, e não há muita esperança com relação a isso. As coisas só mudam depois que um acidente ocorre e Eddie é transportado para um mundo de fantasia que parece ter sido criado a partir de capas de discos de bandas como Iced Earth, Manowar ou Iron Maiden – chamado Mundo do Metal – e se envolve em uma revolução para salvar metaleiros, tietes e outras figuras do mundo da música das garras de demônios e monstros.

A missão se desenrola em um cenário grande e aberto, mais ou menos no estilo “Grand Theft Auto”. Eddie dirige seu carro supertunado chamado The Deuce e pode selecionar missões da história ou outras secundárias. Além das partes de pilotagem, trecho de pancadaria é o que não falta, além de poder tocar solos de guitarra e ouvir o bom e velho heavy metal durante a jogatina.

 

 Por fim, há também segmentos de estratégia que imitam concertos, em que se deve criar torres para angariar fãs e juntar metaleiros para deter inimigos que avançam – tal aspecto da mecânica também se repete no modo multiplayer do , tanto em partidas locais quanto online.

 
 

Nomes de peso

Assim, a dublagem complementa de maneira espetacular os protagonistas. Além de Black, há participações de figuras lendárias da música como Ozzy Osbourne, Rob Halford, Lita Ford e Lemmy Kilmister, além do ator Tim Curry, que foi contratado como vilão do game para evocar qualidades de alguns de seus trabalhos mais célebres, como Senhor das Trevas em “A Lenda” ou o palhaço Pennywise em “It”.

A trilha sonora, claro, não poderia deixar de fora grandes hinos do heavy metal e é complementada por faixas originais, em um total que chega a quase 100 canções. Há desde clássicos de bandas consagradas como Kiss, Black Sabbath, Motörhead, Slayer e Judas Priest a grupos mais recentes como DragonForce, Mastodon e Dethklok.

 

“Brütal Legend” é um jogo obrigatório para quem curte Jack Black, Tim Schafer e heavy metal. Os estilos dos três se fundem de maneira espetacular e criam uma aventura muito divertida, repleta de personagens impagáveis, situações inusitadas e som de primeira. Talvez vá decepcionar aqueles gamers com opinião mais conservadora com relação à jogabilidade, mas é um game que foge um pouco do padrão e recomendo para quem curte os temas.  

 

Falo galera até a próxima!!

fonte: www.uol.com.br

About Guilherme Galdino

penso, escrevo e desenho
This entry was posted in Games and tagged , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , . Bookmark the permalink.

2 Responses to Análise do jogo Brutal Legend

  1. João says:

    Simplesmente fenomenal, um dos jogos mais divertidos dessa nova geração!

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s